Uma introdução sobre a estrutura do fio de cabelo

Uma introdução sobre a estrutura do fio de cabelo

O estudo sobre o universo dos cuidados com os cabelos começa com o entendimento da estrutura do fio de cabelo. Isso porque as transformações capilares são mudanças que os profissionais cabeleireiros  provocam justamente nessas estruturas. Nesse artigo você vai entender de quais partes um fio de cabelo é formado e quais as ligações que existem nele. Vamos la?

INTRODUÇÃO

Uma cabeça adulta possui em média de 90 a 150 mil fios de cabelo, sendo que estes crescem em média cerca de 1 cm por mês e a taxa de perda é de aproximadamente 100 fios por dia. Um fio de cabelo é diferente de um pelo qualquer que existe pelo corpo. Primeiro porque possui uma capacidade maior de crescimento e uma velocidade maior também, em segundo lugar porque cresce em uma concentração muito maior por área de pele e em terceiro lugar porque a estrutura do fio de cabelo possui algumas particularidades.

Mas você já se perguntou porque temos cabelos na cabeça? É tudo uma questão evolutiva. Na cabeça temos um dos órgãos mais importantes do nosso corpo, o cérebro, e os cabelos servem como um regulador térmico, além de proteger a cabeça de contatos mecânicos.

ESTRUTURA DO FIO DE CABELO

A estrutura do fio de cabelo é complexa, mas a seguir vamos tentar deixar tudo mais simples e didático para que possa ser perfeitamente entendido.

O fio de cabelo é formado por células mortas de queratina. Mortas? Sim, o nosso fio de cabelo, assim como todos os pelos do nosso corpo são partes mortas e é justamente por causa disso que na maioria das vezes os fios de cabelo não conseguem se recuperar sozinhos e precisam de bons produtos e tratamentos para que se recuperem.

A queratina é uma proteína produzida por células chamadas queratinócitos que estão localizadas no bulbo. Um dos componentes da queratina é a cisteína, um aminoácido que contém um alto teor de enxofre.

O bulbo juntamente com as glândulas sebáceas (a importância dessas glândulas será explicada em um novo artigo) e o músculo eretor do fio compõem a parte viva da estrutura do fio, chamada de folículo pilo-sebáceo. No mesmo nível que o folículo existe a Zona de Bulge, onde existem as células que são responsáveis pelos ciclos de crescimento capilar.

Todas essas estruturas citadas estão embaixo da nossa pele. Mas e o cabelo que nós conhecemos e tocamos todos os dias?

Bom, a estrutura do fio de cabelo que está para fora da pele é formada basicamente por três partes: Medula, Córtex e Cutícula

Estrutura do fio de cabelo: córtex, medula e cutícula
Estrutura do fio de cabelo: córtex, medula e cutícula

MEDULA

É a parte central do fio de cabelo. Ela pode estar vazia ou preenchida com queratina esponjosa. Na verdade ainda não se sabe exatamente qual a função dessa parte do fio de cabelo, mas alguns estudos vem apontando um caminho. Segundo eles a medula pode estar relacionada com o inicio do crescimento do fio, funcionando como um direcionador do novo fio em direção ao poro da pele.

CUTÍCULA

É a camada externa do fio. Ela é composta por camadas que , sobrepostas, protegem a estrutura do fio de cabelo. Ao contrário do que algumas pessoas pensam a melanina (substância que dá a cor aos cabelos) não está na cutícula, pois esta é transparente. Sua função é proteger o córtex das agressões externas e contatos mecânicos. Além disso, a cutícula é responsável por proteger o fio de cabelo da perda de água e outras substâncias essenciais a saúde dos cabelos. A cutícula é formada basicamente de queratina (uma proteína) e ceramidas (um tipo de lipídio). Mais sobre a importância da importância da cutícula capilar você vai poder encontrar em um próximo artigo.

CÓRTEX

É a região intermediária do cabelo. É nessa parte que todas as transformações capilares acontecem. Muitos profissional chamam o córtex de “coração” do fio de cabelo. As menores unidades que formam o córtex são cadeias de queratina. Essas cadeias se unem umas as outras em formato de espiral, como o fio do telefone de antigamente e é exatamente a forma como elas se unem que resulta em algumas características do fio.

A elasticidade do cabelo, por exemplo, é dada pela união dessas cadeias. Elas são capazes de esticar e aumentar o comprimento do cabelo em até 50% e depois voltar ao normal. Mas por que isso é importante? Por exemplo, quando vamos pentear os cabelos é benéfico que ele estique um pouco, pois caso contrário qualquer puxadinha a mais que fosse dada por conta de nó teria como consequência uma quebra.

A resistência do cabelo também está relacionada com essas cadeias de queratina, quanto mais cadeias de queratinas juntas um fio de cabelo possui, mais forte e resistente ele é. Uma cadeia sozinha é fraca, mas várias cadeias juntas deixam o cabelo forte.

É no córtex também que está a melanina, e é a quantidade e a proporção entre cada tipo de melanina que determina o cor do fio de cabelo.

LIGAÇÕES QUÍMICAS PRESENTES NO FIO DE CABELO

molecula

As ligações químicas mais importantes do fio de cabelo estão presentes no córtex. É importante conhece-las e saber suas propriedades para ter conhecimento do que está acontecendo no fio de cabelo durante uma transformação. Aqui vamos exemplificar as principais ligações, sendo que todas elas serão citadas novamente com mais detalhes em outros artigos aqui do blog.

PONTES DE HIDROGÊNIO

São as ligações mais fáceis de se manipular e também as que existem em maior quantidade no fio. Sempre que o fio de cabelo é molhado essas pontes se rompem. No entanto elas voltam a se formar novamente quando o cabelo é seco. São essas ligações químicas que são manipuladas quando é realizada uma escova ou um baby liss. Ao posicionar o fio de cabelo na forma que se deseja e tirar a água dele, as pontes de hidrogênio são refeitas na nova posição imposta.

PONTES SALINAS OU LIGAÇÕES IÔNICAS

São as ligações intermediárias do cabelo, elas se desfazem quando há um alteração brusca no ph do cabelo e se reconstituem assim que o ph volta ao normal. Mais sobre elas será dito em um novo artigo sobre ph do cabelo.

PONTES DISSULFETO OU LIGAÇÕES DE ENXOFRE

São as ligações mais fortes que o fio de cabelo possui. Elas são formadas por duas moléculas de aminoácido cisteína que se ligam com moléculas de enxofre e formam uma molécula chamada Cistina. Essas pontes só são quebradas com a ação de produtos químicos. Depois de moldadas elas não voltam novamente a sua forma original e ficam permanentemente no novo formato. São essas ligações que são manipuladas quando o cabelo passa por um processo de alisamento ou cacheamento.

Esse texto foi apenas uma introdução ao estudo da estrutura do fio de cabelo. A intenção foi apresentar alguns conceitos importantes para que você possa ir se familiarizando com eles. Nos próximos artigos entraremos mais a fundo em diversos assuntos. É só aguardar e até lá.

Quer receber dicas exclusivas para o seu tipo de cabelo e 15% de desconto nos produtos desse texto? Clique aqui!

Você é profissional e gostaria de receber mais materiais de estudo e promoções? Clique aqui!

9 Replies to “Uma introdução sobre a estrutura do fio de cabelo”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *