5 Erros que podem Prejudicar a Saúde Financeira do seu Salão

5 Erros que podem Prejudicar a Saúde Financeira do seu Salão

Hoje o Blog da Tânagra vem com o objetivo de apontar 5 erros financeiros extremamente frequentes que podem chegar, até mesmo, a levar um salão de beleza à falência. A importância de conhecer tais falhas é poder tomar ações corretivas. Então preste atenção para não deixar estes erros acontecerem com seu negócio.

Primeiro erro: não conhecer suas despesas

Pode parecer surpreendente, mas é muito comum que gestores da beleza não consigam identificar para onde está indo toda a receita que entra no caixa do salão. É primordial para a saúde financeira do negócio saber como o dinheiro foi dividido e para onde ele foi, para que seja possível entender seu resultado financeiro.

Normalmente, de toda receita que entra no salão, 50% a 55% deste valor destina-se às despesas diretas; 30% às indiretas; e apenas 15% serão o lucro.

As despesas diretas são compostas pela comissão ou rateio para os profissionais, taxa de cartão de crédito, custo de produtos e materiais (como shampoo, condicionador, hidratante, recipientes plásticos, pincéis), e impostos.

Isso significa que, de um serviço que você cobra R$100,00, metade deste valor ou até R$55,00 são para pagar despesas diretas: parte vai para o profissional, parte para o governo, parte para as empresas de produtos e uma parte final para a empresa de cartão.

O restante do valor ainda não é o lucro. Existe uma parte chamada margem operacional que é destinada para cuidar da operação do salão – ou seja, aquelas atividades que são necessárias para o espaço de beleza funcionar. Aqui falamos das despesas indiretas (custo fixo) que incluem contas de água, luz e energia, salário de funcionários registrados e aluguel. É saudável que elas não ultrapassem 35% dos custos do negócio.

Finalmente, temos o lucro. Para que o lucro do salão seja de 15%, suas despesas totais não podem ultrapassar 85%. Muitos donos e administradores não conseguem visualizar quando as fatias de despesas estão acima dos valores limite – é por isso que é preciso registrar tudo e entender a dinâmica dos custos para identificar qual está alto demais: se o rateio, o aluguel, ou número de funcionários fixos é maior do que aquele que você pode pagar.

Leia Também: Está Começando? Seis dicas para quem acabou de abrir o próprio salão.

Segundo erro: despesas fixas altas demais

Um bom exemplo de despesas fixas bastante elevadas são de salões que pagam aluguéis muito caros. Se analisarmos negócios com 1 ou 2 anos, é normal que todo o investimento financeiro ainda não seja liquidado – claro que ninguém fica feliz com isso, mas é necessário um tempo para retenção de clientes e para que o salão comece a se pagar. Entretanto, se um salão tem mais de 3 ou 4 anos e sua despesa fixa está muito alta, é hora de rever os custos e pensar o que fazer para modificar a situação.

Terceiro erro: comissão alta demais

Vamos supor que do valor de um serviço (como corte de cabelo), seja decidido que 60% são destinados para comissão. É preciso lembrar que o restante ainda deve cobrir as demais despesas (diretas e as indiretas), além do lucro. Alguns valores de comissão não permitem que essa conta feche.

É claro que alguns serviços, como de manicure, têm um rateio mais elevado. Entretanto, os outros produtos precisam impulsionar os resultados financeiros do espaço de beleza.

Quarto erro: preços equivocados

Considere que um salão cobre R$60,00 por corte de cabelo, e realiza 40 cortes por mês. Seu faturamento mensal é, então, de R$2.400,00.

É comum utilizar a estratégia de baixar preços para tentar reter clientes em épocas difíceis. Todavia, é necessário ter cuidado para não reduzi-los demais. Utilizando o mesmo exemplo do salão anterior, vamos trabalhar com um valor promocional de R$45,00 por corte. Para manter o mesmo faturamento de R$2.400,00 por mês, o espaço precisa, agora, atender 54 clientes no mínimo. Se a promoção não trouxer esses 14 clientes a mais, ela não está valendo a pena.

É importante dizer que não estamos falando que promoções não são boas táticas, mas é preciso colocar todos os valores na ponta do lápis e saber se elas serão positivas e darão conta de pagar todas as despesas.

O inverso também é válido. Se o preço do corte subir para R$70,00, o mesmo faturamento é atingido com apenas 35 clientes. Caso o aumento de dez reais tenha gerado uma perda de 5 clientes, ele ainda está valendo a pena. Se toda a clientela permanecer, o resultado financeiro será melhor que o anterior. E caso mais de cinco pessoas sejam espantadas pelo preço, o aumento não foi bom para o negócio.

Leia Também: Estratégias de Marketing e Divulgação para Salões de Beleza

Quinto erro: falta de controle financeiro geral

Outra situação muito frequente ocorre quando donos de espaços de beleza não possuem registros de despesas, das quantidades de produtos em estoque, e da quantia de capital de giro necessária.

Existe uma grande falta de controle financeiro de forma geral. Entretanto, é impossível falar em gestão financeira sem mencionar o registro de todos os gastos, receitas e estoque de um salão.

Fique atento a estes 5 erros para saber se e onde você está pecando, já que estas falhas podem comprometer o sucesso da sua empresa.

Abrimos um salão para que ele viva por muitos e muitos anos, e, para que isso aconteça, é fundamental que ele tenha uma boa saúde financeira.

Escrito por Bárbara Fraiha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *