Alimentação correta para um cabelo saudável

Quem não quer um cabelo vivo e radiante?

Nas mulheres, um cabelo bem cuidado costuma ser considerado um sinal de beleza e saúde – enquanto nos homens pode ser muitas vezes considerado um reflexo da sua masculinidade.

(Até por isso, homens que começam a ficar carecas muitas vezes sentem que sua masculinidade está ameaçada de alguma forma.)

Uma breve procura na prateleira de “cuidados capilares” na farmácia ou numa boa loja virtual mostra que a indústria desenvolveu linhas de produtos capazes de ajudar a tratar diversos tipos de problema de cabelo: são inúmeros potes, frascos e tubos de sprays, sabonetes, xampus, condicionadores, hidratantes, relaxadores e produtos de styling. 

Mas, para um cabelo verdadeiramente saudável, pode ser preciso não só gastar tempo pensando no que pôr na cabeça, mas também focar no que você ingere.

Queda de Cabelo, Estresse e Desnutrição Capilar

Olhe ao redor de qualquer corredor de um hospital e você verá muito cabelo fino, frágil, sem brilho e sem vida.

Este tipo de cabelo é um sinal de um estresse mental extremo ou de desnutrição física – porém isso não está restrito a pacientes internados a longo prazo.

Por exemplo, pessoas anoréxicas vêem seus cabelos se tornarem frágeis, quebradiços e cair aos tufos.

Entusiastas de dietas mirabolantes são constantemente atormentados por perda de cabelo, porque o ciclo de enfiar o pé na jaca e entrar em uma dieta muito restritiva não deixa muito espaço para uma nutrição adequada.

Queda de cabelo também pode ser um efeito colateral comum de um episódio traumático, como uma morte na família ou uma doença crônica.

Sendo assim, fica claro que estresses de diferentes tipos podem influenciar a saúde capilar – sendo que um dos estresses mais graves para nosso corpo é ficar sem receber nutrientes adequados por um longo período de tempo.

E isso explica por que muitos veganos sofrem de perda de cabelo e cabelos quebradiços e sem vida – porque eles acabam não recebendo nutrientes suficientes, devido a uma dieta pobre em alimentos de origem animal.

O termo científico para isto é eflúvio telógeno: essencialmente, o estresse extremo interrompe o ciclo normal dos folículos pilosos, fazendo-os crescer mais lentamente, e passando mais tempo em repouso entre o crescimento de cabelo.

Embora possa ser psicologicamente devastador, esse tipo de perda de cabelo é claramente benéfico sob uma perspectiva evolutiva.

Afinal de contas, se o seu corpo não tem energia suficiente para se manter bem nutrido, o cabelo vai ser um dos primeiros a sofrer.

Porque, em termos de sobrevivência, é melhor perder cabelo do que perder dentes ou músculos.

Nesta situação, é importante se lembrar que não há nada de errado com o cabelo em si.

Cabelo fino e frágil é apenas um sinal externo que o corpo está sob muito estresse – seja ele mental ou físico.

(Claro que outra causa do cabelo fino e frágil pode ser algum tipo de tratamento químico que você fez no seu cabelo, ou algum tipo de descoloração… mas neste texto vamos abordar apenas as causas alimentares do cabelo fraco.)

A solução é combater o estresse, e não apenas focar no cabelo.

Felizmente, isso torna o problema relativamente fácil de tratar.

Algumas medidas comuns adotadas são:

Comer bastantes alimentos ricos em nutrientes como ovos, carnes nutritivas (como fígado ou outros órgãos animais) e vários tipos de vegetais – até mesmo com algum tipo de amido –  para enviar ao seu corpo um sinal claro de que você está recebendo muitos nutrientes e pode começar a “gastar” alguns deles no seu couro cabeludo.

Ferro e proteínas são particularmente importantes – sendo que a carne vermelha é uma boa fonte de ambos esses nutrientes.

Suplementos de biotina podem ajudar muitas vezes, mas estes devem ser um complemento para uma dieta nutritiva, e não substitutos.

>>> Relacionado: 5 vitaminas importantes para a saúde do cabelo

Por isso, é importante dormir bem e gerenciar ao máximo seu estresse.

A boa notícia é que o eflúvio telógeno é geralmente reversível.

Desse modo,o cabelo volta a crescer quando o estresse ou a desnutrição acabam.

alimentação saudável, cabelos saudáveis

Hormônios e Perda de Cabelo

Em pacientes com eflúvio telógeno, o cabelo se torna quebradiço e sem vida, mas raramente desaparece por completo.

Mas algumas pessoas também sofrem de calvície em uma parte ou na totalidade de sua cabeça, e isso não é necessariamente causado apenas por estresse.

Perda de cabelo (alopécia) é muitas vezes causada por problemas hormonais.

Um dos tipos mais comuns, alopécia androgenética, também chamado de calvície masculina, pode ocorrer em mulheres também.

Pessoas com este problema vêem seu cabelo ficar fino, desaparecendo por completo, sem nenhuma conexão aparente com estresse físico ou trauma emocional.

Como o nome indica, alopécia androgenética é a perda de cabelo impulsionada pelos hormônios (“andrógeno” é apenas um nome genérico para todos os hormônios masculinos).

Especificamente, ela é causada por um excesso de dihidrotestosterona (DHT), que é um derivado da testosterona.

Muito DHT nos folículos pilosos altera a forma deles.

Isso faz com que o cabelo cresça mais lentamente, o que acaba tornando-o mais curto e mais fino.

Em algumas pessoas, a alopécia androgenética é herdada, mas também está associada a distúrbios hormonais.

Mulheres com síndrome do ovário policístico (um distúrbio hormonal que envolve níveis anormalmente elevados de andrógenos) frequentemente têm queda de cabelo.

É também um sintoma comum de problemas de hipertireoidismo e hipotireoidismo (a tireoide controla os níveis hormonais em todo o corpo).

Outras doenças como diabetes e síndrome metabólica estão frequentemente associadas com alopécia androgenética, porque a resistência à insulina pode ter sérios efeitos nos sistemas hormonais do corpo.

Assim como nestes problemas mais graves, a queda de cabelo também é mais comum em mulheres que estão grávidas.

É impossível evitar a predisposição genética para queda de cabelo, mas todos os outros distúrbios hormonais associados respondem bem a uma dieta que reduz a ingestão de carboidratos refinados (low-carb), porque ela melhora a sensibilidade à insulina e elimina fitoestrógenos como a soja.

O glúten é também um desencadeador enorme de problemas de tireoide.

Logo, eliminar o trigo e outros grãos ricos em glúten pode ajudar a tratar a desregulação hormonal.

Basicamente, a dieta ideal para tratar a perda de cabelo relacionada a problemas hormonais é uma mistura de alimentos saudáveis, repletos de nutrientes, tanto de origem vegetal quanto animal, livres de toxinas prejudiciais – em outras palavras, uma alimentação baseada em comida de verdade.

Autoimunidade e Perda de Cabelo

Assim como distúrbios hormonais, a autoimunidade também pode estar por trás da calvície.

A alopécia areata é uma doença autoimune que pode causar perda de cabelo, tanto causando pontos de calvície dispostos aleatoriamente (alopécia areata), quanto perda de cabelo do couro cabeludo inteiro (alopécia areata totalis) ou perda de cabelo em todo o corpo, incluindo as sobrancelhas e cílios (alopécia areata universalis).

É impossível confundir a alopécia areata com a alopécia androgenética: ela gera uma perda de cabelo desigual muito característica, em vez de um afinamento geral.

No caso de qualquer doença autoimune, uma das primeiras medidas deve ser consultar um profissional qualificado para ajudar a curar problemas comuns como a síndrome do intestino permeável.

(Para dar um exemplo, uma medida comum é cortar os grãos, leguminosas e óleos de sementes – o que pode ser suficiente para algumas pessoas, embora outras necessitem de uma abordagem mais personalizada, que apenas um profissional será capaz de fornecer.)

Conclusão e Palavras Finais

Certamente, os tratamentos capilares que você faz são de enorme importância para a saúde do seu cabelo.

Inclusive por isso, a escolha de produtos de cabelo de qualidade é fundamental para um cabelo bonito e saudável.

Entretanto, o seu cabelo nunca ficará tão bonito quanto você deseja se você não cuidar da sua alimentação e do seu descanso – evitando o estresse excessivo e comendo alimentos nutritivos.

Desse modo, é importante entender que o cabelo faz parte do seu corpo – e que um corpo mal nutrido jamais poderá ter um cabelo bonito e cheio de vida.

Sobre os Autores

guilherme e roneyGuilherme e Roney são apaixonados por

alimentação saudável e estilo de vida que ajudam

pessoas a transformarem radicalmente seus corpos e suas vidas

através de seu site Senhor Tanquinho.

 

11 thoughts on “Alimentação correta para um cabelo saudável

  1. Nossa é esse e_mail veio a calhar….Há mais ou menos 6 meses mudei meus hábitos…Conheci o estilo low carb e mudei minha vida!
    Perdi 8kg … Só não estou completamente feliz pois desde então tenho sofrido uma perda enorme de cabelos…Nunca me alimentei tão bem em toda minha vida! Acha que devo fazer algum exame médico? Qual especialista procurar…Tenho receio em falar dá dieta…Das restrições dos carbos enfim, não sei como será aceito isso pelo especialista.

    1. Olá Elayne,

      Conforme mencionamos no texto, vários podem ser os fatores envolvidos na perda de cabelos. Por exemplo:
      – estresse físico e/ou mental,
      – ingestão muito baixa de calorias,
      – ingestão muito baixa de alguns nutrientes específicos,
      – uso de algum tratamento ou produto no cabelo.

      Nós falamos sobre alguns nutrientes específicos que podem melhorar a qualidade do cabelo neste texto aqui: http://blog.darwin6.com.br/5-vitaminas-para-ajudar-no-crescimento-de-cabelo-3-outros-nutrientes/

      De toda forma, vale reavaliar sua alimentação e mesmo passar com algum profissional capacitado para investigar de perto o que pode estar acontecendo.

      Uma lista de profissionais alinhados a essa filosofia de comida de verdade pode ser encontrada aqui: http://profissionaislowcarb.blogspot.com.br/

      Forte abraço!

  2. Também estou com o mesmo problema da Elayne Cristina, comecei a low carb a alguns meses e desde então meu cabelo tem caído muito. Não quero relacionar a alimentação, pois também acho que nunca me alimentei tão bem, com tantos legumes e verduras, mas acredito que se eu for num médico ele irá mandar mudar minha dieta, o que não quero, pois adorooo a low carb. Nunca fui gorda, mas com a low carb consigo manter meu peso sem sofrimentos. O que faço????

    1. Olá Vanessa,

      Vamos responder assim como respondemos à Elayne Cristina:

      Conforme mencionamos no texto, vários podem ser os fatores envolvidos na perda de cabelos. Por exemplo:
      – estresse físico e/ou mental,
      – ingestão muito baixa de calorias,
      – ingestão muito baixa de alguns nutrientes específicos,
      – uso de algum tratamento ou produto no cabelo.

      Nós falamos sobre alguns nutrientes específicos que podem melhorar a qualidade do cabelo neste texto aqui: http://blog.darwin6.com.br/5-vitaminas-para-ajudar-no-crescimento-de-cabelo-3-outros-nutrientes/

      De toda forma, vale reavaliar sua alimentação e mesmo passar com algum profissional capacitado para investigar de perto o que pode estar acontecendo.

      Uma lista de profissionais alinhados a essa filosofia de comida de verdade pode ser encontrada aqui: http://profissionaislowcarb.blogspot.com.br/

      Forte abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *